sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ladies and gentlemen...


O espetáculo da vida faz uma pausa. Um segundo apenas. Fecha a cortina por um segundo, para que possamos ver as luzes no céu. Nesse momento, nós que somos protagonistas e espectadores, esperamos, respiramos fundo. Os pés cansados que já tanto caminharam, sobem no salto pra começar tudo novamente. Os ombros caídos que carregaram mágoas, decepções durante dias e noites, também se erguem, se preparam. Esse é o segundo que nos encontramos com nós mesmos, damos o primeiro passo, e a cortina se abre novamente, um ciclo que se fecha, uma etapa. É hora de recomeçar, o espetáculo não pode parar ,nem que a gente queira... ele não para.
Ladies and gentlemen...Vai começar!!Preparem-se para fortes emoções.



Feliz Ano Novo!



Obrigado a todos que nesse ano dedicaram um minutinho do seu precioso tempo para ler algum texto deste blog. Um forte abraço e muita energia positiva!Obrigado.

L. N.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010




Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais

tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramentee, odiamos

frequentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver, adicionamos anos à nossa vida e não vida aos

nossos anos. Fomos e voltamos a lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.

Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio . Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma, dominamos o átomo, mas não nosso preconceito, escrevemos mais,

aprendemos menos planejamos mais, mas realizamos menos. Aprendemos a nos apressar e não a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos

comunicamos cada vez menos. Estamos na era do "Fast-Food" e da digestão lenta, do homem grande de caráter

pequeno, lucros acentuados e relações vazias. Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas

chiques e lares despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das

rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas mágicas. Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouca na

dispensa. Uma era que leva essa carta a você e uma era que te permite dividir essa reflexão ou

simplesmente clicar "delete". Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estaram aqui

para sempre. Lembre-se de dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo

sequer. Lembre-se de dizer "Eu te amo" à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas em primeiro lugar se

ame, se ame muito. Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro. Por isso valorize sua

família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre.

George Carlin

sábado, 25 de dezembro de 2010

É sempre assim...


N A T A L,


sempre um tempo diferente..


me faz reviver as melhores lembranças da infância,


da época, que eu não precisava dormir,


para poder sonhar...


Deve ser por isso que dizem


que eu ainda não cresci.



Feliz Natal,

pureza no coraçao.



L.N.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Dois


Como dois estranhos,

cada um na sua estrada,

nos deparamos, numa esquina, num lugar comum.

E aí? Quais são seus planos?

Eu até que tenho vários.

Se me acompanhar, no caminho eu posso te contar.

E mesmo assim, eu queria te perguntar, se você tem ai contigo alguma coisa pra me dar,

se tem espaço de sobra no seu coração.

Quer levar minha bagagem ou não?

E pelo visto, vou te inserir na minha paisagem

e você vai me ensinar as suas verdades e se pensar,

a gente já queria tudo isso desde o inicio.

De dia, vou me mostrar de longe.

De noite, você verá de perto.

O certo e o incerto, a gente vai saber.

E mesmo assim, queria te contar, que eu talvez tenho aqui comigo,

eu tenho alguma coisa pra te dar.

Tem espaço de sobra no meu coração.

Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.

E mesmo assim, queria te contar, que eu tenho aqui comigo alguma coisa pra te dar.

Tem espaço de sobra no meu coração.

Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.



Música -Tiê

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O que fazer ?


O que fazer quando as coisas não querem dar certo ?
O que fazer quando você olha ao seu redor e percebe que nada está
como você gostaria que estivesse ?
O que fazer quando há muitos obstáculos e poucas chances, e esses
obstáculos que você vem enfrentando não demonstram resultado ?
O que se faz quando há muita vontade mas poucas oportunidades ?
O que fazer em um país omisso ? O que fazer quando sua força de expressão
é calada, o pior de tudo é quando você se conforma com tudo! Porque quando
isso acontece, é quando as esperanças já não existem ou estão quase acabando,
onde procurar forças, se tudo te leva ao abismo ? Quem procurar, se as pessoas
que você mais admira, não conseguem perceber isso ? O que fazer quando as lágrimas secaram ?Se conseguir responder essas
questões me avise. Mas as mudanças são inevitáveis, os obstáculos sempre irão existir
e raramente as pessoas vão te dar valor, as pessoas nunca conseguiram observar o funcionário exemplar, as e os políticos sempre vão ser corruptos,
essa é a verdade, eu poderia dizer coisas maravilhos, mas de que adianta se
isso não é verdade? Antes chorar com verdades, do que sorrir com mentiras. Sei
que existe alguma saída, mas ainda não consegui encontrá-la completamente, mas
acredito que este caminho entre as árvores e as flores nos leve a algum lugar surpreendente.

Samuel S.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010




O MENESTREL

Um dia você aprende que...
Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo. •.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

© William Shakespeare

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Espetáculo Tempo



Esse tempo que tanto escrevo,

não ouso definir.

Por sua inconstante rota, és imortal e me move daqui.

Porque quando te perco,

é que corro atrás, mas você...

inconstante,

nem olha pra tráz.

Fico te gastando comigo mesma,

não é o melhor a se fazer?

é que me esqueço dos lados, há tanta coisa pra perceber!

Você, tempo

me consome

me come pelas beiradas e eu nem percebo.

È aí que mostras seu poder, me engana com maestria

e me faz perder.

O tempo que é meu,

não sei usar,

como tempestade de verão,

passa....

como acusar?

Com ritmo desigual,

irreverente,

é essa harmonia que me comove e de repente,

sou anônima, indigente.

Corpos esguios que se movem, voce é mais um,

eu sou mais uma, o tempo....o Senhor Tempo é mais um.

Contínuo, máquina, vida.

E assim somos apenas mais alguns...

perdidos, no tempo.




Aos bailarinos do CEP Comtemporâneo do Teatro Escola Basileu França. Obrigada, por me emocionarem e mostrarem o quanto amo a arte. Aplaudi de pé.
Lorrayne Nascimento

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Pedro Zé, Um Nordestino.














Lá vem Pedro Zé, lá vem Pedro Zé
Um nordestino, pobre de menino
Filho do sertão
Trazendo no peito a dor,
A mágoa viva
Fruto de uma civilização
Nas mãos todo ódio de um mundo
Que o traiu pela injustiça e solidão

Mas não tem problema moço não
Eu sou um cabra maço sim senhor
E não é tão fácil me vencer
Conheço os mistérios de uma flor

Lá vem Pedro Zé
Chegando na tal cidade grande
Berço de toda injustiça social
E ele só queria uma saída
Apenas uma chance para trabalhar
Sou homem de bem
De uma família que é humilde
Mas que tem no coração
A vontade de ajudar

E quando a fome me abateu
E o desespero me alcançou
Fui a uma Igreja recorrer
E um homem pra mim falou

Que que há rapaz?
Você tá de porre,
Sai pra lá seu vagabundo
Você pode trabalhar
Em lugar de "santos"
Você não pode entrar bêbado
E não pode nem fumar
E quer saber mais vai dando
O fora rapidinho
Que se não vou te expulsar

Então Pedro Zé saiu de lá
E pela primeira vez chorou
Não tinha vontade de viver
E aí foi que ele planejou

Eu vou me matar
Sou um pobre coitado
To cheirando um mal danado
E não tenho onde ficar
Mas juro a vocês,
Que lá no fundo do meu peito,
Eu só queria era aguentar
Meus Deus me perdoe
Sei que é pecado de morte
Mas não vou continuar

Aí eu pergunto a vocês
Por que é difícil se amar ?
Por que é difícil se ajudar ?
Por que tanto mal existe aqui ?
O que foi deixado para nós ?
Amai-vos como eu vos amei
Por que não lutamos pelo bem ?
Qual é o sentido de viver ?

Mas Deus sabe tudo que ele faz
E não deixaria isso assim
Pobre Pedro Zé homem bom
Nunca merecia esse fim
Não é que dentro da igrejinha
Três pessoas ouviram ele falar
E o seguiram a noite inteirinha
Com muita vontade de ajudar

Pedro Zé foi para a ponte Rio-Niterói
E dali só queria se atirar
Mas três vozes
Gritaram com emoção
Não se atire não, Deus te ama Zé
Nós viemos aqui para te levar

Pedro Zé escutou no seu coração
Que a bondade
É maior do que o mal que há
A Jesus aceitou e correu feliz
Vou pra minha terra quero ver Maria
E com ela eu quero me casar

Lá vai Pedro Zé, boa sorte Zé
Deus te ama Zé, não se esquece não Zé

Música: Pedro Zé, um Nordestino.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010


Já não sei mais, até que ponto estou falando de mim ou de você. E isso me assusta profundamente, isso tudo é tão inconstante. Você pensa em mim o tanto que eu penso em você? Eu me atrevo em responder. Não, você não pensa assim. Fechei. Fechei pra balanço. Sem data pra voltar a rotina. E que rotina? Não, melhor...sem data pra voltar. Cansada dos mesmos conselhos, cansada da mesma voz, cansei de você. Cansei de pensar que você está aí, cansei de pensar no que você quiz dizer...

Quero paz. Tenho tanta coisa pra fazer... e não consigo fazer nem metade. Os dias são longos e exaustivos, as noites são curtas e turbulentas. Não consigo. O cansaço me venceu. Durmi pensando até quando vou conseguir viver assim. Preciso de férias. Férias de mim. Cansei. Desta vez, somente desta vez vou desistir, e deixar que a chuva me leve.

Já me sinto bem melhor agora, mais leve talvez.






Ao som da música "So Beautiful" de Pete Murray, da série One tree Hill, minha preferida.

terça-feira, 16 de novembro de 2010














Mundo velho está perdido, já não endereita mais
Os filhos de hoje em dia já não obedece os pais
É o começo do fim , já estou vendo sinais
Metade da mocidade estão virando marginais
É um bando de serpente
Os mocinhos vão na frente, as mocinhas vão atrás...
Pobre pai e pobre mãe, Morrendo de trabalhar
Deixa o coro no serviço pra fazer filho estudar
Compra carro a prestação para o filho passear
Os filhos vivem rodando fazendo pneu cantar.
Ouvi um filho dizer o meu pai tem que gemer, não mandei ninguém casar,
O filho parece rei, filha parece rainha
Eles que mandam na casa e ninguém tira farinha
Manda a mãe calar a boca, coitada fica quietinha
O pai é um zero à esquerda, é um trem fora da linha
Cantando agora eu falo: Terrero que não tem galo quem canta é frango e
franguinha.
Pra ver a filha formada um grande amigo meu,
O pão que o diabo amassou o pobre homem comeu,
Quando a filha se formou foi só desgosto que deu,
Ela disse assim pro pai: "quem vai embora sou eu"
Pobre pai banhado em pranto, o seu desgosto foi tanto
que o pobre velho morreu...
Meu mestre é Deus nas alturas, o mundo é meu colégio
Eu sei criticar cantando: Deus me deu o privilégio,
Mato a cobra e mostro o pau, eu mato e não apedrejo
Dragão de sete cabeças também mato e não alejo
Estamos no fim do respeito
Mundo velho não tem jeito, a vaca já foi pro brejo.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Marketing - Metal Sinter

Durante nossa vida aprendemos a valorizar algumas coisas que não são fundamentais:
materialismo, budismo, poder, status e coisas desse tipo são o que importa pra sociedade por isso vamos convocá-lo para uma revolução! Vamos renovar a espécie humana, vamos investir na alma, resgatar não só a natureza, mas o natural, vamos vender mais paz, não filtrar as emoções, coalhecer a inveja, contabilizar as boas relações, reciclar as relações ruins, reatar as velhas amizades, equipe o prazer, trabalhe a perseverança, vença o cansaço, faça a diferença sem precisar de propaganda, resolva tudo sem alarde, use o marketing da sinceridade cobre o profissionalismo de todos, inclusive daqueles que você elegeu. Vamos maximizar a energia, preservar os recursos, tratar a agua pois ela é a nossa fonte de vida, e como o ar também é um meio de vida, vamos ser transparêntes. Renove o estoque de sorrisos, canalize os bons pensamentos, use o marketing do amor, abrace mais, beije seus amores, relembre o quanto os ama, e com a mesma força diga não ao racismo a intolerância, a discriminação. Seja saudável! Inclusive nas atitudes, dê bons exemplos, diga a verdade principalmente as crianças para que elas cresçam sabendo acreditar, crie seus filhos como cidadãos do mundo. Cultive Deus, e viva na razão da emoção, lutando pela felicidade plena por um futuro melhor, e agradeça sempre por estar nesse mundo.

Propaganda Metal Sinter









Ontem

Passado. Aquele negócio que você olha pra traz e fala “Nossa... olha o que eu tava fazendo”. Normal. Todo mundo já pensou assim. Apesar de poucos admitirem isso. Mas não importa, passado todo mundo tem, e isso não muda.

O que o passado nos desperta, é que é perigo. Pode despertar sentimentos bonitos que já foram vividos, ou reabrir feridas antes esquecidas, e isso sim, meus queridos, dói. Somos a construção de um passado, o que vivemos nos torna, nos forma, nos molda. Você é hoje o que viveu e aprendeu ou errou sua vida, sua história, suas marcas, foram construídas por você mesmo, “és responsável por aquilo que cativas”. O que me intriga e me revolta ao mesmo tempo, é a falta de personalidade de assumir o que é, ou que foi, e admitir que mudou, e que as mudanças são necessárias, não somos estáveis, não sou a mesma de ontem e não serei a mesma amanhã. É natural, é humano.

Tento valorizar meu passado, e rir de todas as bobagens que fiz, afinal não posso mudá-lo. Esse passado que hoje amadureceu e se tornou o que sou, me fez ter os amigos que tenho, os sonhos que tenho, os desafios que virão. Não vou mentir, existem coisas que não gosto nem de lembrar... Valorizar o passado não quer dizer ser sadomazoquista e chorar todas as mágoas passadas, valorizar o passado, é não sentir vergonha dele, e saber que hoje, tu és soma, resultado, conquista.

Não me considero vítima do tempo, sou mais uma passageira e vou com ele sem exitar.

L.N.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010


Um sujeito estava a colocar flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês a colocar um prato de arroz na lápide ao lado. Ele vira-se para o chinês e pergunta: - Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz? E o chinês responde: - Sim, e geralmente à mesma hora que o seu vem cheirar as flores!


"Respeitar as opções do outro, em qualquer aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente".
"Nunca julgue. Apenas compreenda!"

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Heroína



Você me ensinou tanta coisa que eu já nem sei mais dizer o que realmente pensei do que você me disse. Quatro anos se passaram e minha vida mudou tanto e você já não estava mais aqui. Quando fiquei com medo do vestibular, quando passei no vestibular, quando escrevi meu primeiro texto nesse blog, quando me vi pronta pra uma vida nova. Você, vovó. Meu porto seguro já não estava mais aqui. Um dia presenciei uma conversa sobre pessoas que não choravam quando um parente se vai. Elas se vangloriavam pelo o feito. “Eu não me emociono com essas coisas”. Como pode ser? Já escrevi sobre pessoas que perdem o coração, essas jamais tiveram um. A senhora me dava asas, embarcava nas minhas loucuras de criança, e eu me sentia diferente, amada, especial. Só hoje me dou conta que a especial era você. Seus poderes de me dizer as coisas certas nas horas certas, me fazem tanta falta hoje. Uma senhora que mal sabia ler, se esforçava coma luz baixa do quarto pra ler historias e reconta-las pra mim. Isso não é incrível? Não é lindo? Me sinto orgulhosa de ter herdado tantas características suas. Desde as covinhas na bochecha a sensibilidade à dor dos outros. Obrigada. Você é minha heroína. Minha inspiração nos dias em que o cansaço que vida com responsabilidades me dá. Quatro anos não são nada. A saudade será a mesma sempre.






Lorrayne Nascimento.

sábado, 25 de setembro de 2010

Um homem Inteligente Falando das Mulheres

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.

Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat

Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta

Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores

Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza

Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade

É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitossapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito

Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela

Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar umbronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.

Só tem mulher quem pode!

Luiz Fernando Veríssimo

sábado, 18 de setembro de 2010

Texto de Lya Luft


"Canção das mulheres

Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.

Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.

Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.

Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.

Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.

Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.

Que o outro sinta quanto me dóia idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de voltar logo à sua vida.

Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo ''Olha que estou tendo muita paciência com você!''

Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.

Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.

Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.

Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa - uma mulher."



Lya Luft é incrivel né gente..não podia faltar aqui...

L.N.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sentir-se humano



Por mais que eu me esforce, não consigo. Já me disseram: ‘Você é humana demais’. Olha só, agora isso é defeito. Tô começando achar que já não sou mais a mesma. Agora minhas atitudes são regidas por sentimentos novos, adultos talvez. Responsáveis talvez. A humanidade que refiro não é a biológica, é aquela genuína, pura, e até legítima que todo ser humano parece receber quando nasce, a de sentimento. Um anjo aplica uma injeção de humanidade no coração de cada criança. Elas nascem, crescem. Mas algumas arrancam o efeito da aplicação, quero dizer, acho que algumas arrancam o seu próprio coração. Alguns perdem essa habilidade, a destroem. E se voltam contra os que se humanizaram. Eu considero muitos sentimentos nobres, simplesmente pelo fato, de não serem artificiais, sabe? Aqueles que você percebe na pessoa quando ela menos espera, é natural, legítimo, puro, seu. Complicado isso tudo né? Também acho. Mais é disso que estou falando. Ser Humano. Somos contraditórios, confusos, dificilmente imparciais, incrédulos, românticos ou não, felizes ou não, somos todos intrinsecamente humanos. Essa humanidade que nos torna vivos, que modifica o mundo, que enlouquecemos, que nos entedia de nós mesmos, que nos deixa sobreviver. Você pode até não entender do que estou falando. Pois é, ta na hora de recuperar sua humanidade, há tempo.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

e no meu livro...



Podem me chamar do que quiserem. Hoje já não me importo mais. Já disse, tenho mais o que fazer. Eu pareço ter um imã á criticas. Não me digam o que tenho que fazer. Não me falem que tudo que faço é em vão. A luta é minha, a vida é minha. E já admito que a hora de errar é agora, sou jovem o bastante pra isso. Pareço ser invisível, pra quem eu quero que me veja, e pareço estar enfeitada de luzes fluorescentes pra quem não quero nem ver. Não é possível que seja só comigo. Ou será possível? Me sinto totalmente frágil só de pensar em minha vida, e o que vou fazer dela.. O futuro me assusta de não forma inexplicável, mas não considero isso covardia. Considero humanidade, sensibilidade. Essas coisas que não adquiridas, simplesmente se nasce com elas. Me sinto extremamente feliz por isso. O que dizem ser bobagem, eu vejo poesia. O que dizem não ter importância, eu daria a vida. O que dizem não existir mais, eu consigo enxergar. O que dizem não ter sentido, escuto como musica. Sensibilidade. Ver o mundo como um livro. Um belo livro, aliás. Uma arte para poucos.



Lorrayne N.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

De Volta,



Amor,


Nunca o compreendi. E sinceramente não espero que isso aconteça. Qual é a beleza de esperar algo que já se conhece? Qual é alívio de ver quem se gostaria, se já soubesse quem viria? Surpresa. Inesperado. Calor. Batimentos. Coração. Amor.


Não acredito que seja deste mundo, e que exista com tanta agressividade. Mas as provas me abatem, me cegam, e me dizem que sempre tô errada, e que a culpa é sempre minha. Que seja então. Não me farei em pedaços pra você juntar, porque meus cacos foram levados pelo vento lá fora, e já não sei onde foram parar. Deixe-me. Pode ir. Sua felicidade está onde ele estiver. Ele. Ele. O amor. Que não sou eu. Que não faz parte de mim. Não sou eu quem te cega, quem te deixa tonto com os cílios, que te enfraquece, que te arrasta. Então que seja como for pra ser. Mas que seja longe de mim. Porque é você que me enfraquece, que deixa tonta, que me diz o que não quero ouvir, que me mostra o que não quero ver, que me arrasta. Já não sei mais do que se trata. Amor? Não mais. Incômodo. Esse tipo de coisa que só a distância e o tempo cura. Ah, o tempo! Capaz de fazer as proezas mais improváveis, as mais indecifráveis. Capaz de me juntar, me refazer, como está fazendo agora. Já sinto novamente meus pés. Já sinto novamente a brisa leve no meu rosto, uma brisa com cheiro de esperança, que me sinaliza com sinais vermelhos tudo o que está em minha volta. Que me diz: Volta. E seja você. Onde está você?






L.


sábado, 21 de agosto de 2010

Autonomia



Penso no meu futuro como uma folha em branco, e a tinta para escrevê-la está em minhas mãos, mas elas tremem, e eu morro de medo que borrem o papel, que até agora estava em branco, intacto. Meu futuro, não é como folhas secas no vento, eu posso escolher onde elas poderão ir. E é esse o problema. A autonomia, que me assusta e não me deixa pensar com clareza. O mundo não pára, o tempo não pára pra que eu possa pensar, tudo acontece freneticamente, e eu? Eu também continuo andando, fazendo o que não quero fazer, dizendo o que não quero dizer, e não estando com quem quero estar. Cansei de culpar o destino por escolhas que eu tenho que fazer. Não dá mais pra fingir de Peter Pan, e não querer crescer, porque é inevitável, é necessário. E a tal da autonomia que me assusta, é que também me faz voar, e o medo que sai não sei de onde, ainda persiste. Mas eu continuo, porque o futuro é meu, e eu sou do tamanho dos meus sonhos, e acredite... Eu sou ENORME!! Digam o que quiserem, critiquem como for, agora olho pra frente, e já passei por você. Mais eu estava rápido demais, e só você não viu.


L.N.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Clarice Lispector



Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Chuva


Era noite. Com veneno saindo dos lábios, disseram: "O que você procura não existe". Nesse momento uma tempestade de pensamentos me inundou. Diga por você, não me inclua nisso. Opa. Será mesmo que não existe?

"Você espera demais do outro". Nossa, por essa eu não esperava. Comecei a fazer uma retrospectiva. É, eu esperava muito.

"Sua inteligência assusta, te deixa inacessível". Ham? Eu não sou assim. Caramba não me considero assim, mas assusta?

"O tempo passou, você mudou o cabelo, e continua a mesma". Meu cabelo não tem nada a ver com a história. Continuo a mesma, isso não é bom? Quer dizer, eu mudei sim. Ás vezes, a ignorância cega as pessoas.

"Ficará sozinha se não mudar". Agora apelei. Senti o sangue indo pro meu rosto, acho que estava vermelha de raiva. A tempestade continuou me inundando. Mas a única coisa que consegui falar foi: 'Acho que tem alguém me chamando...Oi!'. Olhei pra trás, e quase cambaleei com meu salto na escada. Fugi. Antes que tomasse coragem pra dizer o que a tempestade me mandava falar. Proibido pra menores. Uma chuva de coisas que prefiro nao dizer. Sou elegante. Me arrumei no salto, olhei pra frente, e me cobri com um guarda-chuva, que também pode ser chamado de esquecimento-precoce-de-gente-que-não-interessa. Me proteger, antes que outra chuva, me atinja. Paciência tem limite, fim.



(Lorrayne Nascimento)

terça-feira, 27 de julho de 2010

Storm





Tempestade
Quanto tempo eu estive nessa tempestade?
Tão impressionado com o oceano sem forma?
Está ficando mais difícil andar na água com essas ondas quebrando sobre minha cabeça
Se eu pudesse apenas ver você, tudo estaria bem
Se eu pudesse ver você, esta escuridão se tornaria luz
Refrão: E eu caminharei na água e você me pegará se eu cair.
E eu me perderei nos seus olhos e tudo ficará bem, e tudo ficará bem
Eu sei que você não me trouxe aqui para me afogar,
Então por que eu estou a 10 palmos de profundidade e de cabeça para baixo?
Apenas sobreviver se tornou meu propósito
Porque eu estou tão acostumado a viver debaixo da superfície.
Se eu pudesse apenas ver você tudo estaria bem,
Se eu pudesse ver você esta escuridão se tornaria luz.



Está é uma música da banda Lifehouse, a qual me identifico bastante e consegue acalmar a minha alma em um dia em que tudo parece uma verdadeira "tempestade". Por mais simples que sejam essas palavras, para mim não são apenas palavras, são o retrato do que acontece no dia de hoje, porque muitas pessoas se perdem pelo caminho e caem nas grandes "tempestades" da vida, seja nas drogas, no álcool, nos pequenos vícios, no ódio, o fato é: Existe realmente o caminho da felicidade? O caminho que conduz a superfície? A resposta é sim, por mais que você insista que não, por mais que você já tenha ouvido/lido isso, e eu vos digo que esta resposta você só encontrará de uma forma, ou melhor, de uma pessoa santa, que se tornou humana, talvez este nome seja muito conhecido por você. Sim! Ele é "DEUS", o criador de todas as coisas. Muitas pessoas se questionam porque o mundo está assim ? Talvez se pensássemos um pouco melhor e olharmos ao nosso redor, observaríamos que de algum tempo pra cá, muita coisa mudou, o pensamento das pessoas, o modo de agir, principalmente os pequenos gestos, aqueles que por mais bobos que sejam, conquistam as pessoas. Só que estes "pequenos detalhes" foram esquecidos, hoje colocam o dinheiro em primeiro lugar mas esqueceram o valor das pessoas, talvez se você fizesse um pequeno gesto todos os dias, será que o mundo ainda estaria do mesmo jeito ? Talvez não, mas estamos mais preocupados com a nossa luxúria, com nosso físico, com o nosso trabalho, com a nossa faculdade, com nossos medos. Faço um trato com você a partir deste momento: Tente mudar seu modo de agir, não estou pedindo pra você ser outra pessoa, não é nada disso, apenas mude alguns gestos para com as pessoas. Se conseguir fazer isso, eu garanto que você vai se sentir bem melhor, mais contente com você mesmo, pois a vida é feita decisões. Decida o melhor! Saia da "tempestade" que você se encontra, viva ao lado de pessoas que conseguem fazem rir seu coração.

Samuel S.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

1 ANO DE BLOG!!!


Eu estou sempre buscando saber quem sou. E nesse blog, existem várias faces minhas. Tudo começou de forma despretenciosa, de colocar em algum lugar tudo o que escrevia. Acho que por ser tímida, reservada, é uma forma de expressar o que eu jamais falaria em voz alta. Escrever é mais fácil. Só me dei conta que estava escrevendo pro mundo, quando uma amiga que há muito tempo não conversava, disse que eu escrevia bem. Me dei conta que essa página não é só minha, e que as questões que tentava falar, não eram só minhas, mas de toda uma geração. Durante esse ano, minha vida mudou muito e eu também, e é só assim olhando pra tráz, é que percebo que o melhor da vida são as mudanças. O importante não é o final do caminho, e sim o percurso. Me desculpem por toda a nostalgia, e ás vezes melancolia que expresso aqui com minhas palavras ou de outros autores, faz parte da minha personalidade, e isso ainda não mudou, e não sei se vai mudar.


Agradeço aos meus poucos leitores. São vocês que fazem que eu continue a escrever, não me preocupo com a quantidade, mas se consigo emocioná-los, ou então fazer com que parem pra refletir, já estou super emocionada por isso. Agradeço as pessoas que conheci através desse blog, você é muito especial, de verdade. Ao meu grande amigo que me ajuda a mantê-lo, e que me mostra que a distância e o tempo não atrapalha uma amizade verdadeira.

Enfim, obrigado a todos, por tudo!!!

As perguntas que movem o mundo continuarão, porque o mundo, o NOSSO mundo, não pode parar.

Lorrayne Nascimento.