sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Chegou o dia de dizer adeus.


Seria um dia normal, se não fosse a presença insólita e sempre constante da solidão, a minha vida sempre foi assim. Mas chega de chorar, chegou o dia de dizer adeus, sei que parece loucura, mas a morte não me deixa mais triste, nervoso talvez, mas não triste. Engraçado já sei o que meu amigos vão falar: Era um covarde, era louco, coitado! Porque que ele fez isso? Mas ninguém vai saber o se passa na minha cabeça, no meu inconsciente que me leva a vida. Uma vez Caetano Veloso falou que "Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é", concordo com ele! Minha dor é grande minha solidão maior, mas ninguém quer saber disso! Ninguém! Eles só querem saber de ouvir o meu "bom dia" e de verem o meu riso amarelo falando que ta tudo bem. Tudo bem? Bom dia! O que você deseja? Hipócritas! Se iludem de dia pra sofrerem a noite, e pra esquecer a dor usam uma droga qualquer. As pessoas se acostumam como a banalidade, com a normalidade. E eu ainda tenho que rir e falar que ta tudo bem, mas nunca está! Nunca está! Sempre tentei achar no outro a felicidade que eu não tinha, sempre! Sempre quis encontrar em um amor o fim da solidão, mas quanto mais amor eu procurava mais dor eu encontrava e mais solidão eu vivia. Ninguém ama ninguém - as pessoas se amam através dos outros - li isso em algum lugar, mas concordo! Acho que amei só o fim da minha solidão, mas ela sempre voltava. Hora marcada, lugar certo! A única certeza da minha vida era isso: solidão e dor. Mas tudo bem, sempre tinha uma droga pra me fazer ver a minha vida colorida. Amar é uma droga; só que vicia o corpo e a alma, por isso eu acho a cocaína mais fraca; ela vicia o corpo, mas a mente fica livre. (...)
Quando pensei em me matar lembrei em todas as besteiras que a religião me falava, Deus sabe tudo! Deus te ajudará! Mas até quando vou ter que esperar esse dia?
(...)
Tem uma vida burguesa uma pseuda felicidade e se acha feliz. Tudo bem. O tempo passa e sua dor aumenta e você acha que é apenas a idade, mas é seu coração morrendo, não agüenta mais a vida mediana que você leva, e finge ser feliz.
Deixa pra lá você quer ver um final feliz. Tentei me matar, mas covarde não tem coragem de fazer isso, mas como moro em uma cidade abençoada e protegida, fui assaltado, na mesma noite em que tentei me matar. Fui morto por um tiro na cabeça. Só porque um traficante, mais um infeliz, que desejava um papel que alguns chamam de dinheiro para poder comprar roupas melhores, coisas que iriam embranquecer sua alma e assim ser aceito na sociedade, como ele: falsa e corrupta. Eu não tinha o dinheiro ou não quis dar, não lembro, eu só sei que a polícia chegou e começou o tiroteio. Me lembro quando uma bala perdida me apanhou, na verdade ela não era perdida ela tinha meu nome cravado na alma.
PS.:O texto acima foi sugerido pelo meu big friend Samuel (Muka pros intimos..rs!), migo esse blog tb é seu! Obrigado!O mundo precisa de gent que se preocupe com o direito da vida para que ela seja valorizada. É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário