sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ladies and gentlemen...


O espetáculo da vida faz uma pausa. Um segundo apenas. Fecha a cortina por um segundo, para que possamos ver as luzes no céu. Nesse momento, nós que somos protagonistas e espectadores, esperamos, respiramos fundo. Os pés cansados que já tanto caminharam, sobem no salto pra começar tudo novamente. Os ombros caídos que carregaram mágoas, decepções durante dias e noites, também se erguem, se preparam. Esse é o segundo que nos encontramos com nós mesmos, damos o primeiro passo, e a cortina se abre novamente, um ciclo que se fecha, uma etapa. É hora de recomeçar, o espetáculo não pode parar ,nem que a gente queira... ele não para.
Ladies and gentlemen...Vai começar!!Preparem-se para fortes emoções.



Feliz Ano Novo!



Obrigado a todos que nesse ano dedicaram um minutinho do seu precioso tempo para ler algum texto deste blog. Um forte abraço e muita energia positiva!Obrigado.

L. N.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010




Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais

tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramentee, odiamos

frequentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver, adicionamos anos à nossa vida e não vida aos

nossos anos. Fomos e voltamos a lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.

Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio . Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma, dominamos o átomo, mas não nosso preconceito, escrevemos mais,

aprendemos menos planejamos mais, mas realizamos menos. Aprendemos a nos apressar e não a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos

comunicamos cada vez menos. Estamos na era do "Fast-Food" e da digestão lenta, do homem grande de caráter

pequeno, lucros acentuados e relações vazias. Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas

chiques e lares despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das

rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas mágicas. Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouca na

dispensa. Uma era que leva essa carta a você e uma era que te permite dividir essa reflexão ou

simplesmente clicar "delete". Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estaram aqui

para sempre. Lembre-se de dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo

sequer. Lembre-se de dizer "Eu te amo" à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas em primeiro lugar se

ame, se ame muito. Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro. Por isso valorize sua

família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre.

George Carlin

sábado, 25 de dezembro de 2010

É sempre assim...


N A T A L,


sempre um tempo diferente..


me faz reviver as melhores lembranças da infância,


da época, que eu não precisava dormir,


para poder sonhar...


Deve ser por isso que dizem


que eu ainda não cresci.



Feliz Natal,

pureza no coraçao.



L.N.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Dois


Como dois estranhos,

cada um na sua estrada,

nos deparamos, numa esquina, num lugar comum.

E aí? Quais são seus planos?

Eu até que tenho vários.

Se me acompanhar, no caminho eu posso te contar.

E mesmo assim, eu queria te perguntar, se você tem ai contigo alguma coisa pra me dar,

se tem espaço de sobra no seu coração.

Quer levar minha bagagem ou não?

E pelo visto, vou te inserir na minha paisagem

e você vai me ensinar as suas verdades e se pensar,

a gente já queria tudo isso desde o inicio.

De dia, vou me mostrar de longe.

De noite, você verá de perto.

O certo e o incerto, a gente vai saber.

E mesmo assim, queria te contar, que eu talvez tenho aqui comigo,

eu tenho alguma coisa pra te dar.

Tem espaço de sobra no meu coração.

Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.

E mesmo assim, queria te contar, que eu tenho aqui comigo alguma coisa pra te dar.

Tem espaço de sobra no meu coração.

Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.



Música -Tiê

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O que fazer ?


O que fazer quando as coisas não querem dar certo ?
O que fazer quando você olha ao seu redor e percebe que nada está
como você gostaria que estivesse ?
O que fazer quando há muitos obstáculos e poucas chances, e esses
obstáculos que você vem enfrentando não demonstram resultado ?
O que se faz quando há muita vontade mas poucas oportunidades ?
O que fazer em um país omisso ? O que fazer quando sua força de expressão
é calada, o pior de tudo é quando você se conforma com tudo! Porque quando
isso acontece, é quando as esperanças já não existem ou estão quase acabando,
onde procurar forças, se tudo te leva ao abismo ? Quem procurar, se as pessoas
que você mais admira, não conseguem perceber isso ? O que fazer quando as lágrimas secaram ?Se conseguir responder essas
questões me avise. Mas as mudanças são inevitáveis, os obstáculos sempre irão existir
e raramente as pessoas vão te dar valor, as pessoas nunca conseguiram observar o funcionário exemplar, as e os políticos sempre vão ser corruptos,
essa é a verdade, eu poderia dizer coisas maravilhos, mas de que adianta se
isso não é verdade? Antes chorar com verdades, do que sorrir com mentiras. Sei
que existe alguma saída, mas ainda não consegui encontrá-la completamente, mas
acredito que este caminho entre as árvores e as flores nos leve a algum lugar surpreendente.

Samuel S.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010




O MENESTREL

Um dia você aprende que...
Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo. •.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

© William Shakespeare

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Espetáculo Tempo



Esse tempo que tanto escrevo,

não ouso definir.

Por sua inconstante rota, és imortal e me move daqui.

Porque quando te perco,

é que corro atrás, mas você...

inconstante,

nem olha pra tráz.

Fico te gastando comigo mesma,

não é o melhor a se fazer?

é que me esqueço dos lados, há tanta coisa pra perceber!

Você, tempo

me consome

me come pelas beiradas e eu nem percebo.

È aí que mostras seu poder, me engana com maestria

e me faz perder.

O tempo que é meu,

não sei usar,

como tempestade de verão,

passa....

como acusar?

Com ritmo desigual,

irreverente,

é essa harmonia que me comove e de repente,

sou anônima, indigente.

Corpos esguios que se movem, voce é mais um,

eu sou mais uma, o tempo....o Senhor Tempo é mais um.

Contínuo, máquina, vida.

E assim somos apenas mais alguns...

perdidos, no tempo.




Aos bailarinos do CEP Comtemporâneo do Teatro Escola Basileu França. Obrigada, por me emocionarem e mostrarem o quanto amo a arte. Aplaudi de pé.
Lorrayne Nascimento